25 de Janeiro de 2010 19:34:25
GIMA
vanvera 3

Início » Notícias » Estudos Bíblicos » Exibindo Notícia

Auto Posto Ariquemes

Data: 02/04/2024 Compartilhe esta notícia

 


 

LEITURA DO DIA 86/350 - Números 17 e 18, Jó 31 e 32

 ACESSE O SITE: WWW.BIBLIA350DIAS.COM.BR


 A N T I G O   T E S T A M E N T O

Números 17:1 ENTÃO falou o SENHOR a Moisés, dizendo: 2 Fala aos filhos de Israel, e toma deles uma vara para cada casa paterna de todos os seus príncipes, segundo as casas de seus pais, doze varas; e escreverás o nome de cada um sobre a sua vara. 3 Porém o nome de Arão escreverás sobre a vara de Levi; porque cada cabeça da casa de seus pais terá uma vara. 4 E as porás na tenda da congregação, perante o testemunho, onde eu virei a vós. 5 E será que a vara do homem que eu tiver escolhido florescerá; assim farei cessar as murmurações dos filhos de Israel contra mim, com que murmuram contra vós. 6 Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel; e todos os seus príncipes deram-lhe cada um uma vara, para cada príncipe uma vara, segundo as casas de seus pais, doze varas; e a vara de Arão estava entre as deles. 7 E Moisés pôs estas varas perante o SENHOR na tenda do testemunho. 8 Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas. 9 Então Moisés tirou todas as varas de diante do SENHOR a todos os filhos de Israel; e eles o viram, e tomaram cada um a sua vara. 10 Então o SENHOR disse a Moisés: Torna a pôr a vara de Arão perante o testemunho, para que se guarde por sinal para os filhos rebeldes; assim farás acabar as suas murmurações contra mim, e não morrerão. 11 E Moisés fez assim; como lhe ordenara o SENHOR, assim fez. 12 Então falaram os filhos de Israel a Moisés, dizendo: Eis aqui, nós expiramos, perecemos, nós todos perecemos. 13 Todo aquele que se aproximar do tabernáculo do SENHOR, morrerá; seremos pois todos consumidos?

C O M E N T Á R I O S

Números 17

Mais uma vez Deus dá um sinal ao povo de que o sumo sacerdócio de Arão era Sua escolha. Moisés, a mandado de Deus, ordenou ao chefes das tribos que cada um trouxesse uma vara, um bordão, até ele, cada uma delas com o nome tribos, sendo que a de Levi teria o nome de Arão. Na sequência eles iriam colocar as varas na Tenda, em frente a Arca da Aliança e aquela que florescesse seria a do escolhido de Deus. Certo é que no outro dia a vara de Arão não só tinha florescido como tinha brotado, produzido botões e flores, e ainda deu amêndoas maduras. Com isso Moisés levou para que todo o povo visse e não restassem mais dúvidas a respeito do ministério de Arão. O Senhor ainda ordenou que essa vara florescida fosse guardada junto a Arca da Aliança, para que fosse um sinal de advertência contra o povo rebelde.

Hebreus 9:4 vai dizer que essa vara, juntamente com as tábuas dos mandamentos e um maná ficaram guardados na Arca da Aliança como memorial ao povo de Deus. Um memorial da rebeldia do povo e da misericórdia de Deus para com eles.

A N T I G O   T E S T A M E N T O

Números 18:1 ENTÃO disse o SENHOR a Arão: Tu, e teus filhos, e a casa de teu pai contigo, levareis sobre vós a iniquidade do santuário; e tu e teus filhos contigo levareis sobre vós a iniquidade do vosso sacerdócio. 2 E também farás chegar contigo a teus irmãos, a tribo de Levi, a tribo de teu pai, para que se ajuntem a ti, e te sirvam; mas tu e teus filhos contigo estareis perante a tenda do testemunho. 3 E eles cumprirão as tuas ordens e terão o encargo de toda a tenda; mas não se chegarão aos utensílios do santuário, nem ao altar, para que não morram, tanto eles como vós. 4 Mas se ajuntarão a ti, e farão o serviço da tenda da congregação em todo o ministério da tenda; e o estranho não se chegará a vós. 5 Vós, pois, fareis o serviço do santuário e o serviço do altar; para que não haja outra vez furor sobre os filhos de Israel. 6 E eu, eis que tenho tomado vossos irmãos, os levitas, do meio dos filhos de Israel; são dados a vós em dádiva pelo SENHOR, para que sirvam ao ministério da tenda da congregação. 7 Mas tu e teus filhos contigo cumprireis o vosso sacerdócio no tocante a tudo o que é do altar, e a tudo o que está dentro do véu, nisso servireis; eu vos tenho dado o vosso sacerdócio em dádiva ministerial e o estranho que se chegar morrerá. 8 Disse mais o SENHOR a Arão: Eis que eu te tenho dado a guarda das minhas ofertas alçadas, com todas as coisas santas dos filhos de Israel; por causa da unção as tenho dado a ti e a teus filhos por estatuto perpétuo. 9 Isto terás das coisas santíssimas do fogo; todas as suas ofertas com todas as suas ofertas de alimentos, e com todas as suas expiações pelo pecado, e com todas as suas expiações pela culpa, que me apresentarão; serão coisas santíssimas para ti e para teus filhos. 10 No lugar santíssimo as comerás; todo o homem a comerá; santas serão para ti. 11 Também isto será teu: a oferta alçada dos seus dons com todas as ofertas movidas dos filhos de Israel; a ti, a teus filhos, e a tuas filhas contigo, as tenho dado por estatuto perpétuo; todo o que estiver limpo na tua casa, delas comerá. 12 Todo o melhor do azeite, e todo o melhor do mosto e do grão, as suas primícias que derem ao SENHOR, as tenho dado a ti. 13 Os primeiros frutos de tudo que houver na terra, que trouxerem ao SENHOR, serão teus; todo o que estiver limpo na tua casa os comerá. 14 Toda a coisa consagrada em Israel será tua. 15 Tudo que abrir a madre, e toda a carne que trouxerem ao SENHOR, tanto de homens como de animais, será teu; porém os primogênitos dos homens resgatarás; também os primogênitos dos animais imundos resgatarás. 16 Os que deles se houverem de resgatar resgatarás, da idade de um mês, segundo a tua avaliação, por cinco siclos de dinheiro, segundo o siclo do santuário, que é de vinte geras. 17 Mas o primogênito de vaca, ou primogênito de ovelha, ou primogênito de cabra, não resgatarás, santos são; o seu sangue aspergirás sobre o altar, e a sua gordura queimarás em oferta queimada de cheiro suave ao SENHOR. 18 E a carne deles será tua; assim como o peito da oferta de movimento, e o ombro direito, teus serão. 19 Todas as ofertas alçadas das coisas santas, que os filhos de Israel oferecerem ao SENHOR, tenho dado a ti, e a teus filhos e a tuas filhas contigo, por estatuto perpétuo; aliança perpétua de sal perante o SENHOR é, para ti e para a tua descendência contigo. 20 Disse também o SENHOR a Arão: Na sua terra herança nenhuma terás, e no meio deles, nenhuma parte terás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel. 21 E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que executam, o ministério da tenda da congregação. 22 E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. 23 Mas os levitas executarão o ministério da tenda da congregação, e eles levarão sobre si a sua iniquidade; pelas vossas gerações estatuto perpétuo será; e no meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão, 24 Porque os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerem ao SENHOR em oferta alçada, tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão. 25 E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: 26 Também falarás aos levitas, e dir-lhes-ás: Quando receberdes os dízimos dos filhos de Israel, que eu deles vos tenho dado por vossa herança, deles oferecereis uma oferta alçada ao SENHOR, os dízimos dos dízimos. 27 E contar-se-vos-á a vossa oferta alçada, como grão da eira, e como plenitude do lagar. 28 Assim também oferecereis ao SENHOR uma oferta alçada de todos os vossos dízimos, que receberdes dos filhos de Israel, e deles dareis a oferta alçada do SENHOR a Arão, o sacerdote. 29 De todas as vossas dádivas oferecereis toda a oferta alçada do SENHOR; de tudo o melhor deles, a sua santa parte. 30 Dir-lhes-ás pois: Quando oferecerdes o melhor deles, como novidade da eira, e como novidade do lagar, se contará aos levitas. 31 E o comereis em todo o lugar, vós e as vossas famílias, porque vosso galardão é pelo vosso ministério na tenda da congregação. 32 Assim, não levareis sobre vós o pecado, quando deles oferecerdes o melhor; e não profanareis as coisas santas dos filhos de Israel, para que não morrais.

C O M E N T Á R I O S

Números 18

(18:1–7) Nesse início de capítulo o Senhor diz a Arão que separou ele e sua família para o sacerdócio. Para o trabalho na Tenda todos os levitas seriam responsáveis como já vimos nos capítulos 3 e 4, mas para o sacerdócio apenas sua família foi escolhida. Aliás, nenhum outro levita poderia ao menos se aproximar dos itens do santuário, caso contrário sofreria a ira de Deus.

(18:8–32) O restante do capítulo fala a respeito dos dízimos e de como os levitas iriam viver com o dízimo e o restante das ofertas que fossem oferecidas ao Senhor. Os levitas não iam ter parte na divisão das terras de Canaã quando o povo entrasse, exatamente porque a porção deles seria o Senhor (20).

A N T I G O   T E S T A M E N T O

Jó 31:1 FIZ aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem? 2 Que porção teria eu do Deus lá de cima, ou que herança do Todo-Poderoso desde as alturas? 3 Porventura não é a perdição para o perverso, o desastre para os que praticam iniquidade? 4 Ou não vê ele os meus caminhos, e não conta todos os meus passos? 5 Se andei com falsidade, e se o meu pé se apressou para o engano 6 (Pese-me em balanças fiéis, e saberá Deus a minha sinceridade), 7 Se os meus passos se desviaram do caminho, e se o meu coração segue os meus olhos, e se às minhas mãos se apegou qualquer coisa, 8 Então semeie eu e outro coma, e seja a minha descendência arrancada até à raiz. 9 Se o meu coração se deixou seduzir por uma mulher, ou se eu armei traições à porta do meu próximo, 10 Então moa minha mulher para outro, e outros se encurvem sobre ela, 11 Porque é uma infâmia, e é delito pertencente aos juízes. 12 Porque é fogo que consome até à perdição, e desarraigaria toda a minha renda. 13 Se desprezei o direito do meu servo ou da minha serva, quando eles contendiam comigo; 14 Então que faria eu quando Deus se levantasse? E, inquirindo a causa, que lhe responderia? 15 Aquele que me formou no ventre não o fez também a ele? Ou não nos formou do mesmo modo na madre? 16 Se retive o que os pobres desejavam, ou fiz desfalecer os olhos da viúva, 17 Ou se, sozinho comi o meu bocado, e o órfão não comeu dele 18 (Porque desde a minha mocidade cresceu comigo como com seu pai, e fui o guia da viúva desde o ventre de minha mãe), 19 Se alguém vi perecer por falta de roupa, e ao necessitado por não ter coberta, 20 Se os seus lombos não me abençoaram, se ele não se aquentava com as peles dos meus cordeiros, 21 Se eu levantei a minha mão contra o órfão, porquanto na porta via a minha ajuda, 22 Então caia do ombro a minha espádua, e separe-se o meu braço do osso. 23 Porque o castigo de Deus era para mim um assombro, e eu não podia suportar a sua grandeza. 24 Se no ouro pus a minha esperança, ou disse ao ouro fino: Tu és a minha confiança; 25 Se me alegrei de que era muita a minha riqueza, e de que a minha mão tinha alcançado muito; 26 Se olhei para o sol, quando resplandecia, ou para a lua, caminhando gloriosa, 27 E o meu coração se deixou enganar em oculto, e a minha boca beijou a minha mão, 28 Também isto seria delito à punição de juízes; pois assim negaria a Deus que está lá em cima. 29 Se me alegrei da desgraça do que me tem ódio, e se exultei quando o mal o atingiu 30 (Também não deixei pecar a minha boca, desejando a sua morte com maldição); 31 Se a gente da minha tenda não disse: Ah! Quem nos dará da sua carne? Nunca nos fartaríamos dela. 32 O estrangeiro não passava a noite na rua; as minhas portas abria ao viandante. 33 Se, como Adão, encobri as minhas transgressões, ocultando o meu delito no meu seio; 34 Porque eu temia a grande multidão, e o desprezo das famílias me apavorava, e eu me calei, e não saí da porta; 35 Ah! Quem me dera um que me ouvisse! Eis que o meu desejo é que o Todo-Poderoso me responda, e que o meu adversário escreva um livro. 36 Por certo que o levaria sobre o meu ombro, sobre mim o ataria por coroa. 37 O número dos meus passos lhe mostraria; como príncipe me chegaria a ele. 38 Se a minha terra clamar contra mim, e se os seus sulcos juntamente chorarem, 39 Se comi os seus frutos sem dinheiro, e sufoquei a alma dos seus donos, 40 Por trigo me produza cardos, e por cevada joio. Acabaram-se as palavras de Jó.

C O M E N T Á R I O S

Jó 31 – “Final do terceiro discurso de Jó”

Aqui terminam as palavras de Jó. Realmente ele está convicto de que não pecou, e ele afirma que poderia chamar um a um da cidade para depor se fosse o caso, ele sempre ajudou pobres, necessitados, órfãos, viúvas, viajantes, todos. Até mesmo a terra não tem do que reclamar dele. Jó termina rogando por justiça da parte de Deus.

A N T I G O T E S T A M E N T O

Jó 32:1 ENTÃO aqueles três homens cessaram de responder a Jó; porque era justo aos seus próprios olhos. 2 E acendeu-se a ira de Eliú, filho de Baraquel, o buzita, da família de Rão; contra Jó se acendeu a sua ira, porque se justificava a si mesmo, mais do que a Deus. 3 Também a sua ira se acendeu contra os seus três amigos, porque, não achando que responder, todavia condenavam a Jó. 4 Eliú, porém, esperou para falar a Jó, porquanto tinham mais idade do que ele. 5 Vendo, pois, Eliú que já não havia resposta na boca daqueles três homens, a sua ira se acendeu. 6 E respondeu Eliú, filho de Baraquel, o buzita, dizendo: Eu sou de menos idade, e vós sois idosos; receei-me e temi de vos declarar a minha opinião. 7 Dizia eu: Falem os dias, e a multidão dos anos ensine a sabedoria. 8 Na verdade, há um espírito no homem, e a inspiração do Todo-Poderoso o faz entendido. 9 Os grandes não são os sábios, nem os velhos entendem o que é direito. 10 Assim digo: Dai-me ouvidos, e também eu declararei a minha opinião. 11 Eis que aguardei as vossas palavras, e dei ouvidos às vossas considerações, até que buscásseis razões. 12 Atentando, pois, para vós, eis que nenhum de vós há que possa convencer a Jó, nem que responda às suas razões; 13 Para que não digais: Achamos a sabedoria; Deus o derrubou, e não homem algum. 14 Ora ele não dirigiu contra mim palavra alguma, nem lhe responderei com as vossas palavras. 15 Estão pasmados, não respondem mais, faltam-lhes as palavras. 16 Esperei, pois, mas não falam; porque já pararam, e não respondem mais. 17 Também eu responderei pela minha parte; também eu declararei a minha opinião. 18 Porque estou cheio de palavras; o meu espírito me constrange. 19 Eis que dentro de mim sou como o mosto, sem respiradouro, prestes a arrebentar, como odres novos. 20 Falarei, para que ache alívio; abrirei os meus lábios, e responderei. 21 Que não faça eu acepção de pessoas, nem use de palavras lisonjeiras com o homem! 22 Porque não sei usar de lisonjas; em breve me levaria o meu Criador.

C O M E N T Á R I O S

Jó 32 – “Discurso de Eliú”

Esse capítulo é mais uma apresentação de Eliú. Ele também era um amigo de Jó, o mais novo de todos. Ele afirmou estar indignado, primeiramente porque Jó não assumia seus erros e continuava a tentar se justificar diante de Deus. E depois, com os três amigos, que até então não conseguiram refutar a Jó, apenas o condenaram. Ele, em contrapartida, iria dar sua opinião, mas sem bajulação. Até ali, segundo ele, aguardou sua vez por conta do respeito com os mais velhos, mas não esperaria mais, precisava falar.

 

PARTICIPE TAMBÉM DO NOSSO GRUPO E SEJA NOTIFICADO TODA VEZ QUE FOR POSTADO MATERIAL NOVO

https://chat.whatsapp.com/GDc0V34H7EQ3Mvs7s9QRXJ

 

convide alguém par iniciar hoje o desafio de leitura bíblica 

 

Deus abençoe nosso dia 

 

VAMOS PRA CIMA! VAMOS CRESCER JUNTOS! 

FONTE: ARIQUEMES190.COM.BR

ACESSE NOSSAS REDES SOCIAIS: lnk.bio/TVPCanal35

 

Data: 02/04/2024 Compartilhe esta notícia
 
 
moto mil
sobreira
Tigrão Veículos
Café Bem Cedo 2
Adubar – Calcário de qualidade para o seu solo! – Vídeo
Adubar no Site
Novalar
LORYAL

www.ariquemes190.com.br
Copyright © 2008 - 2024 Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Prospect Plus