25 de Janeiro de 2010 19:34:25
%{artist} - %{title} , (%{year}) (%{time})
    PodCast Ariquemes 190 -- Play para ouvir
Carregando %{time1} de %{time2} (%{percent}%)
  ---  
0:00

This is a normal list of HTML links to MP3 files, which jsAMP picks up and turns into a playlist.

Romera
Sobreira
SÃO LUIZ CALÇADOS

Início » Notícias » Política » Exibindo Notícia

Fael

Data: 27/11/2014 Compartilhe esta notícia

Moreira Mendes defende flexibilização de regras para porte de armas

 
Brasília-DF, 27/11/2014 – O líder do PSD, deputado Moreira Mendes (RO), defendeu, em audiência pública, a flexibilização de regras para o porte de armas de fogo. O debate aconteceu, nesta quarta-feira (26), na Comissão Especial que discute o Projeto de Lei 3722/12, que altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03) e cria normas para a comercialização das armas de fogo.
 
“Não podemos ficar com a atual legislação, que é absolutamente restritiva e contrária ao que soberanamente decidiu o povo brasileiro, quando decidiu, em referendo, que não queria as restrições para porte de arma”, afirmou Moreira.
O debate aconteceu a pedido do presidente da comissão, deputado Marcos Montes (MG), vice-líder do partido. “A discussão foi ampla e alcançou o objetivo de fornecer informações para concluirmos o raciocínio. Meu posicionamento é de que podemos mostrar à sociedade que devemos que ter o direito de defesa.”
Contrário à proposta, o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Gabriel de Carvalho Sampaio, mostrou dados que indicam a queda no número de mortes por armas de fogo depois da primeira Campanha de Desarmamento. “Logo após a criação do estatuto, em 2004, esse percentual caiu em 11%.”
O presidente do Movimento Viva Brasil, Bené Barbosa, disse que o objetivo não é a revogação do estatuto e, sim, a desburocratização da compra e registro do porte de arma de fogo. “Não se trata de armar a população de forma descontrolada”, afirmou.
Atualmente, o porte de armas por civis é permitido somente quando a necessidade for comprovada. Neste caso, o portador deverá obter registro no Comando do Exército, por tempo limitado. No novo texto, não há mais a exigência de uma justificativa de necessidade, nem prazo para o porte de arma para civis. Além disso, o projeto reduz de 25 para 21 anos a idade mínima para adquirir arma de fogo.
 
Assessoria PSD
Foto: Cláudio Araújo
Data: 27/11/2014 Compartilhe esta notícia
Farmácia Paraná
Novalar
Rondon Cap
Tigrão Veículos

www.ariquemes190.com.br
Copyright © 2008 - 2017 Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Softwei, Buscazip, Guiaking Empresas